Três demissões na Assembleia Geral do Sporting

De acordo com informações recolhidas pelo nosso jornal, Diogo Orvalho queria ter esperado pela reunião da Assembleia Geral de segunda-feira, onde os órgãos sociais iriam forçar o Conselho Diretivo a demitir-se.

Entretanto, a Mesa da Assembleia-Geral demitiu-se em bloco, vários membros do Conselho Fiscal e Disciplinar renunciaram aos cargos e parte do Conselho Directivo também se afastou, enquanto o empresário Álvaro Sobrinho, patrão da Holdimo, detentora de 30% das acções da SAD do Sporting, pediu a demissão da direcção.

Bruno de Carvalho recusa pedir demissão
Três demissões na Assembleia Geral do Sporting

Trata-se da primeira demissão na estrutura leonina eleita em março de 2017, na sequência da crise que afeta o clube após agressões de alegados adeptos à equipa de futebol e detenções no clube por suspeita de corrupção desportiva.

Diogo Orvalho já teria tentado junto dos seus pares da AG a queda do órgão há mais de um mês, mas terá agora avançado a título individual, num momento em que, segundo a mesma fonte, entende existir uma falta de decisão e rumo. No entanto, a notícia de que a própria direção não estava disposta a sair, fez o advogado avançar com a demissão. Um apelo comum ao anunciado, em comunicado, pelo CFD.

Edition: