Putin pilota caminhão em inauguração de ponte na Crimeia

"O ocupante russo (.) continua a desrespeitar o Direito Internacional".

Os usuários do mapa notaram que no Google Maps não aparece a Ponte da Crimeia.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) denunciou esta quarta-feira a nova ponte que Vladimir Putin inaugurou ontem parcialmente a ligar a Rússia continental à Crimeia como "mais uma violação da soberania e integridade territorial da Ucrânia". Segundo se pode ver na televisão russa, que transmitiu a cerimónia em direto, ao volante de um camião pesado cor-de-laranja, Putin atravessou, às buzinadelas, os 19 quilómetros da nova "Ponte da Crimeia", que liga a península de Taman, no sul da Rússia, à homónima ucraniana de Kertch, na Crimeia.

Um porta-voz da União Europeia também condenou a "nova violação da soberania" da Ucrânia por parte da Rússia, considerando que sua construção foi feita "sem o consentimento" de Kiev. "Construiremos novas estradas, pontes, aeroportos e portos".

Em Kiev, o primeiro-ministro ucraniano, Volodymyr Groisman, reagiu de imediato e acusou a Rússia de "desrespeito ao Direito Internacional" pela construção e inauguração da nova ponte.

A Ucrânia, por sua vez, se nega a renunciar à sua soberania sobre a Crimeia, que foi anexada pela Rússia em 2014, e garantiu que essa nova "tentativa de legitimar a ocupação temporária da península" será em vão. "A Rússia vai pagar bem caro", ameaçou o chefe do executivo de Kiev.

A Crimeia, uma ex-república autônoma que integrava a Ucrânia, foi anexada pela Rússia durante uma grave crise política no país vizinho, que culminou num conflito no leste entre forças leais ao governo e milícias separatistas apoiadas por Moscou.

- Muitos não acreditavam nesse projeto, mas Putin apostou nele - disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

Durante uma visita em março, alguns dias antes de sua reeleição à Presidência, Putin exigiu que a ponte fosse entregue em maio "para que as pessoas pudessem aproveitar a temporada de verão" na Crimeia. A velocidade máxima autorizada para carros será de 120 km/h, sempre que as condições climáticas permitirem, segundo a agência de notícias russa RIA Novosti. "Seja ético. Copiou? Informe a fonte".

Edition: