Marcelo Rebelo de Sousa "vexado" com acontecimentos em Alcochete — Sporting

Marcelo Rebelo de Sousa reagiu, esta quarta-feira, em Leiria, às agressões aos jogadores e equipa técnica do Sporting que ontem tiveram lugar no centro de treinos do Sporting, em Alcochete.

Questionado sobre se há condições para a realização da final da Taça de Portugal em segurança, o chefe de Estado disse que não se pode substituir às instituições com responsabilidades nessa matéria, dizendo acreditar que cada um fará o que tem de fazer no seu âmbito de actividade.

O Presidente alertou para a possibilidade de uma "escalada" que vai "destruir o desporto português", desprestigiando-o dentro e fora do país. E não há um clima como há sempre relativamente a atividades potencialmente ou alegadamente criminosas.

O chefe de Estado refere que existe "um contexto e aqui conhecemos bem, que é o aumento da violência no futebol português".

Sobre este tema, Marcelo Rebelo de Sousa frisa que este tema até "já mereceu reações do governo e um debate na Assembleia da República".

"Tive o sentimento de alguém que se sente vexado pela imagem projetada por Portugal no Mundo", disse o Presidente da República. "Vexado porque Portugal é uma potência, nomeadamente no futebol profissional, e vexado pela gravidade do que aconteceu", afirmou.

"Não podem haver dois 'Portugais', um que vive num estado de direito democrático e outro que vive à margem do estado de direito democrático". Há uma Constituição, há leis, há um clima de serenidade que é preciso criar.

"Tenho-o dito em vários domínios da vida portuguesa, agora é a ocasião perante a gravidade do que aconteceu dizer no domínio, também, do desporto, concretamente do futebol profissional", alegou Marcelo Rebelo de Sousa.

Na linha de pensamento, o Presidente da República sustenta que não quer ver ninguém 'assobiar para o lado'. Fazer de conta que é um caso isolado. Temos de refletir e atuar quem deve atuar. "Este é o momento de travar a escalada. Se não for travada agora, quando o for, mais adiante, será por meios muito mais drásticos", sublinhou.

"Escalada do problema pode destruir o futebol".

As agressões neste terça-feira aos jogadores do Sporting, em Alcochete, deixaram um rasto de destruição e ferimentos em alguns elementos do plantel.

À noite, um grupo de adeptos fez uma vigília em Alvalade para apoiar os jogadores.

Edition: