Dólar continua aumentando e chega a R$ 3,69

O dólar dava continuidade nesta terça-feira à trajetória de alta e era negociado no patamar de R$ 3,68, acompanhando o cenário externo, onde cresciam os temores de que os juros nos Estados Unidos podem subir mais do que o esperado neste ano, o que afetaria o fluxo global de capitais.

Consultado pela reportagem, o economista-chefe do Santander, Maurício Molon, diz que o crescimento está ligado à melhora da economia dos Estados Unidos. Com a disparada do dólar comercial no mercado financeiro, a cotação da moeda americana para turismo já passa de R$ 4,00 nas principais casas de câmbio do Rio de Janeiro. A divisa chegou a abrir esta segunda-feira (14/5) em baixa, mas inverteu o sinal e rompeu os R$ 3,64. O valor representa alta de 0,94% em relação ao pregão anterior e é o maior desde o dia 7 de abril de 2016. Ao longo do dia, a moeda norte-americana chegou a se aproximar da casa dos R$ 3,70. Em espécie, a cotação varia entre R$ 3,83 e R$ 3,91, já com o imposto de 1,1%, segundo pesquisa do G1. "A verdade é que quem tentar entender o comportamento do câmbio por aqui minuto a minuto vai ficar maluco", resumiu um operador. A oferta de swaps cambiais pelo Banco Central tem sido insuficiente para conter a escalada do dólar, que também se valorizou frente a boa parte de outras moedas fortes e emergentes.

As vendas no varejo dos EUA subiram 0,3% em abril, em linha com as projeções, mas os dados de março foram melhorados, mostrando expansão de 0,8%, sobre 0,6% antes.

Questionado sobre a valorização do dólar, o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, relacionou a alta a fatores externos.

Edition: