RD Congo. OMS prepara quatro mil vacinas contra o ébola

A Organização das Nações Unidas (ONU) começou nesta segunda-feira (14) a enviar à República Democrática do Congo (RDC) equipes de especialistas na tentativa de combater o surto de ebola no país.

Até o momento, o Ministério de Saúde do país africano e a Organização Mundial da Saúde (OMS) só confirmaram dois casos de ebola em todo o país, e nenhuma morte.

Na sexta-feira o governo congolês aprovou o envio de uma vacina experimental contra o Ébola, declarado em Bikoro, onde, segundo a OMS, foram confirmados dois casos, 20 prováveis e 17 suspeitos até domingo.

O mais recente surto de ebola está ocorrendo no noroeste do país, na zona de saúde Bikoro, a 400 quilômetros de Mbandaka, no Congo. "Faz parte das nossas prioridades", afirmou a diretora da OMS para África, Matshidiso Moeti, citada pela agência EFE.

A pior epidemia de ebola até hoje ocorreu entre 2013 e 2017 no oeste da África, registrou 29 mil casos e deixou 11,3 mil mortos principalmente na Guiné, na Libéria e em Serra Leoa.

Segundo a Reuters, o presidente Joseph Kabila também se reuniu com o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em Kinshasa, no domingo.

Por ainda estar em fase experimental, a vacina necessita de autorização governamental, que já foi dada pelo Executivo em Kinshasa, e a Aliança Mundial para Vacinas e Imunização (Gavi, na sigla em inglês), anunciou que financiará a vacinação.

É o nono surto de ebola que atinge a República Democrática do Congo desde a descoberta do vírus no país em 1976, quando ainda se chamava Zaire, segundo a OMS.

Edition: