Andebol. Sporting acusado de subornar árbitros

Segundo o jornal, o alegado esquema de corrupção no andebol envolvia "a compra de equipas de arbitragem, quer para os 'leões' ganharem, quer para o FC Porto, com o qual disputaram o campeonato até ao fim, perder" e abrangeu a época de 2016/17. O autor deste esquema era André Geraldes, o atual diretor de futebol do Sporting, mas que até à época passada se encontrava à frente de todas as modalidades do SCP.

O Jornal de Notícias avança que o Ministério Público já está a investigar o alegado esquema de corrupção.

O jornal entrevistou Paulo Silva, empresário que se diz arrependido por ter "cometido vários crimes" pelo seu sportinguismo, revelando que chegou a pagar 2 mil euros a árbitros, recebendo comissões de 350 euros.

Um antigo "corruptor" revelou ao CM que terá colaborado nos esquemas de corrupção em Alvalade, que levava dois mil euros a árbitros para beneficiar o Sporting - directa ou indirectamente.

Fonte da Procuradoria-Geral da República também confirmou ao Público a existência de um inquérito sobre o caso dirigido pelo Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do Porto e que está atualmente em segredo de justiça.

Nesta mesma nota, o clube diz tratar-se do "primeiro capítulo de uma campanha, mais uma, que visa exclusivamente denegrir a imagem da instituição Sporting".

Assumindo-se "disponível para colaborar em todas as diligências", o Sporting admite ser "um alvo a abater porque é o único clube que, genuinamente, continua a lutar e a querer transparência e verdade desportiva em Portugal".

Segundo a notícia, o título de campeão conquistado pelo Sporting pode estar em risco.

Edition: