Aeroporto de Viracopos, em Campinas, pede recuperação judicial

O pedido de recuperação judicial é o primeiro entre as concessionárias que administram aeroportos no país.

A concessionária do Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), pediu ontem (6) recuperação judicial a fim de reestruturar uma dívida de R$ 2,88 bilhões.

Em nota, a concessionária informa que as operações do aeroporto prosseguem normalmente.

Em julho do ano passado, os concessionários decidiram devolver a concessão à União para que o aeroporto fosse relicitado, com a inclusão do terminal Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).

A recuperação judicial foi protocolada na 8ª Vara Cível da Justiça de Campinas, sede do aeroporto.

A justiça suspendeu todas as execuções de dívidas, multas e o processo de caducidade contra o Aeroporto de Viracopos em Campinas.

O consórcio é formada pelas empresas Triunfo Participações e Investimentos, construtora UTC e Egis com 51% da sociedade, e Infraero, com 49%. Apesar de inaugurar um grande terminal de passageiros, atualmente a estrutura está subutilizada, visto que um píer está desativado no momento, apesar do grande movimento de aeronaves do aeroporto.

Em fato relevante, a companhia diz que o pedido de recuperação judicial visa preservar os ativos e a promover o equacionamento de sua situação financeira, "agravada nos últimos dias", para assegurar a continuidade das atividades, manutenção de postos de trabalho, recolhimento de tributos e pagamento dos créditos concursais. "A Recuperação Judicial está sendo ajuizada, também, como consequência da ausência de resposta conclusiva, pelas autoridades administrativas responsáveis, sobre o pedido de devolução amigável da concessão", afirma o aeroporto em nota. A concessionária alega dívida de R$ 2,88 bilhões, que, segundo ela, é resultado de uma receita muito abaixo da esperada ao longo dos quase seis anos de concessão.

Edition: