Argentina pede ajuda a FMI com peso em queda livre

Mauricio Macri, no poder desde finais de 2015, indicou que já teve uma primeira conversa com a diretora-geral do FMI, Christine Lagarde, mas não referiu qual o montante de crédito solicitado pela Argentina junto da organização internacional.

No último mês, a depreciação do peso foi de mais de 10%.

Segundo o presidente, o pedido ao FMI é necessário para prosseguir no "único caminho que existe para sair dessa situação". A Argentina "é um membro valioso" do FMI, definiu. De acordo com ela, a Argentina "é um membro valioso" do FMI.

O chefe de Estado argentino defendeu que a ajuda externa irá permitir reforçar a aposta no crescimento e desenvolvimento do país, preparando o país para "melhor enfrentar este novo cenário mundial e evitar uma crise como aquelas que já enfrentámos".

A valorização do dólar nos últimos dias afetou o peso argentino mais que a outras moedas. Já na segunda-feira a moeda tinha desvalorizado 0,22% na abertura do dia, que fechou a valer 22,33 pesos por dólar.

O Banco Central da República Argentina (BCRA) decidiu, na reunião de política monetária desta terça-feira, manter a taxa diretora em 40%, um máximo na história do banco central e a atualmente a mais elevada do mundo.

Edition: