Rússia deve sofrer novas sanções dos Estados Unidos

As medidas propostas surgem como resposta à decisão tomada pela Casa Branca, na semana passada, de implementar o mais duro conjunto de sanções à Rússia desde a crise da Crimeia, que arrastou as relações entre os dois países para um dos pontos mais baixos desde a Guerra Fria.

A embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas, Nikki Haley, disse no domingo que Washington estava preparando novas sanções contra a Rússia devido ao seu apoio ao presidente sírio, Bashar al-Assad.

"Ela também solicitou à organização que "peça contas aos autores do ataque de Duma", sem o que o mundo correria o risco de outras utilizações bárbara de armas químicas, na Síria e em outros lugares".

- O secretário Mcnuchin deve anunciá-las (as sanções) na segunda-feira, se já não fez isso. "Todos vão sentir os efeitos neste momento", disse Haley, alertando para as consequências que os aliados externos de Assad devem sofrer.

Caso confirmada, essa será a terceira rodada de sanções impostas pelos EUA à Rússia nas últimas quatro semanas. Segundo o Pentágono, foram atingidas e destruídos três alvos: um centro de pesquisa, um bunker e um armazém de armas químicas.

Ativistas da oposição síria e equipes de resgate afirmam que um ataque químico na cidade de Douma, perto da capital síria, matou mais de 40 pessoas em 7 de abril.

O presidente russo, Vladimir Putin condenou a ofensiva e passou a cogitar fornecer mísseis ao governo sírio.

Edition: