Justiça mantém Scarpa no Fluminense e define prazo para dar nova sentença

Em se confirmando a expectativa dos advogados do jogador, ele poderia ter seu contrato com o Verdão restabelecido imediatamente, mas ainda caberia recursos ao Fluminense.

O Palmeiras pagou cerca de R$ 24,5 milhões para ter o jogador, este valor foi dividido, partes com Scarpa, e partes com os empresários da OTB Esportes, empresa responsável pelos direitos do jogador, mas nada ao Fluminense, seu antigo clube.

- Tudo vai depender do que a juíza decidir.

Enquanto não pode defender o Palmeiras e também não retorna ao Flu, Scarpa treina em Hortolândia, no interior de São Paulo. Como os envolvidos não chegaram a um acordo, a juíza Dalva Macedo concedeu 10 dias úteis para as partes apresentarem as razões finais no processo. Tudo é questão de conciliar. Ao menos, contratualmente, é esse o entendimento da Justiça, que, em audiência realizada na 70ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho-RJ, nesta segunda-feira, voltou a negar o pedido de liberação do jogador.

Isto fez com que o vínculo de cinco anos com o Palmeiras fosse suspenso, e o contrato com o Fluminense novamente registrado na CBF. Ela irá apresentar a setença ao término do prazo determinado e quem perder a primeira instância poderá recorrer. "Mas ele optou por não se reapresentar ao trabalho, o que é uma faculdade legal dele, então é por isso que ele não está jogando". Com isso o atleta buscou junto à justiça no dia 22 de dezembro, seu desligamento do Tricolor Carioca, sob a alegação de falta de pagamento de quatro meses de diretos de imagens e seis meses de FGTS. Pelo time paulista, disputou até o momento oito partidas e fez dois gols, ambos na vitória por 3 a 0 sobre o Ituano, no dia 11 de março.

Edition: