14/04 | 19:01 - Presidente sírio promete "esmagar o terrorismo" após ataque

Pouco antes do amanhecer em Damasco, as explosões começaram a ser ouvidas, com bombardeios que se estenderam por 45 minutos misturados ao barulho dos aviões de combate.

O general Serguei Rudskoi confirmou que os bombardeamentos dos EUA e aliados da França e Reino Unido não causaram "qualquer vítima" civil ou militar.

O Pentágono anunciou que alvos, relacionados à contravenção ao acordo internacional que proíbe o uso de armas químicas, foram atacados, como depósitos em Damasco, onde teria armazenamento desse tipo de arsenal, e um centro de pesquisa ligado à produção de armas químicas, também na capital síria.

"Com as suas ações, os EUA pioram ainda mais a catástrofe humanitária na Síria".

No entanto, a resolução fracassou. Mas o governo sírio realizou ofensivas com cloro apenas algumas semanas depois e é suspeito de usar o gás Sarin no início deste mês.

Por sua vez, Rouhani condenou o ataque ocidental e disse que continuará com o apoio à Síria, "expressando sua confiança de que essa agressão não enfraquecerá a determinação do povo sírio em sua guerra contra o terrorismo".

A embaixadora reforçou ter provas em como o regime de Bashar al-Assad está por detrás do ataque em Douma e que as "fotografias de crianças mortas não são fake news". O mandatário americano disse que os EUA e aliados como França e Reino Unidos estão preparados para uma resposta "contínua". "Todos expressaram seu apoio às ações que a Grã-Bretanha, França e América tomaram", acrescentou a primeira-ministra britânica. Reiterou que o fim do conflito só poderá ser alcançado pela via política.

A investida combinada dos três países é uma resposta a um novo suposto ataque químico contra a cidade de Duma, no último fim de semana. Foram lançados mais de 100 mísseis, sendo que grande parte foi interceptada pelo sistema de defesa da Síria.

Em termos de táticas militares, os ataques de sábado foram marcadamente diferentes dos ocorridos no ano passado, quando mísseis de cruzeiro foram disparados do leste do Mediterrâneo.

Na reunião do Conselho do Atlântico Norte, Estados Unidos, Reino Unido e França informaram os aliados de que "a sua ação militar foi limitada às instalações que permitem a produção e emprego de armas químicas" e que a intervenção foi "muito bem sucedida".

A Opaq afirmou que sua equipe de investigadores seguirá com a missão na Síria para estabelecer os fatos relativos às acusações de uso de armas químicas em Duma.

Edition: