Marcelo Odebrecht: "Deixei claro a Roberto Teixeira que Palocci tinha de autorizar"

Nesta quarta-feira (11), Marcelo Odebrecht prestou mais um depoimento ao juiz Sérgio Moro.

O empresário Marcelo Odebrecht, dono da maior empreiteira do Brasil, resolveu se manifestar, em relação a um inquérito em que o mesmo responde, juntamente com ex-presidente da República [VIDEO], Luiz Inácio Lula da Silva.

Olha essa! A senadora Gleisi Hoffmann (PT) resolveu embarcar na campanha iniciada por vereadores de São Paulo, motivados pelas palavras de Lula durante o ato político que antecedeu a sua prisão, e também incluiu "Lula" no próprio nome parlamentar. João Batista Olivi comenta o assunto. Lula nega as duas acusações.

O acesso deverá ser dado até o próximo dia 24, e a defesa pode selecionar novos conteúdos a ser anexados ao processo até o dia 30 deste mês. O juiz, então, aceitou dar acesso a todo o conteúdo do computador do empreiteiro.

- A cabeça daquele processo, desde o início, era que Demerval compraria, contruiria no terreno, venderia ou alugaria para o Instituto Lula.

A audiência ocorreu dentro do processo em que Lula é acusado de receber propina da Odebrecht por meio da compra de um terreno para o Instituto Lula, em São Paulo. Ao ser questionado pela defesa de Lula na audiência, segundo reportagem da Folha, Odebrecht falou: "Quanto mais eu vou [rever arquivos], mais complica a vida dele". A defesa vem e diz que não quer fazer as perguntas. "Eu acho que é um pouco brincadeira da defesa", disse Moro.

Zanin disse que não requereu o depoimento, mas Moro explicou que, como fez novas perguntas por escrito, o trâmite legal é o depoimento.

Edition: