Eterno capitão da seleção da Inglaterra morre após ataque cardíaco

Brilhou ao serviço do United nas competições europeias e emigrou em 1984 para jogar por três anos no Milan. Conquistou o único título de campeão da carreira no clube de Glasgow, em 1988/89, época em que também conquistou a Taça da Escócia. Somou 84 internacionalizações por Inglaterra, dez como capitão, com destaque para as participações no Campeonato da Europa da UEFA de 1980 e Campeonato do Mundo da FIFA de 1982 e 1986.

O ex-jogador também foi técnico do Queens Park Rangers, Fulham e da seleção da Jordânia, assim como assistente do brasileiro Luiz Felipe Scolari, do holandês Guus Hiddink e do italiano Carlo Ancelotti no Chelsea.

"Ele era um médio possante, dono de uma habilidade para o futebol brilhante e com uma inteligência para o jogo fantástica", disseram os red devils em comunicado.A voz de Wilkins era bem conhecida em Inglaterra, tendo-se destacado, nos últimos anos, como comentador na televisão britânica e na rádio. Morreu esta quarta-feira, cinco dias depois. "RIP, Ray Wilkins", escreveu a equipe no Twitter.

Edition: