Reino Unido na Síria? Ministros deverão decidir esta quinta-feira

A primeira-ministra britânica, Theresa May, vai convocar esta quinta-feira um "gabinete de guerra" especial para preparar a entrada do Reino Unido na acção militar dos Estados Unidos e de França contra o regime sírio, após o ataque químico em Douma no passado sábado, alegadamente perpetrado pelas forças leais a Bashar al-Assad, que levou à morte de cerca de 70 pessoas.A notícia está a ser avançada pela Sky News. O governo britânico atribuiu à Rússia a responsabilidade pelo ataque e desencadeou uma retaliação diplomática a nível internacional que resultou na expulsão de dezenas de diplomatas russos, mas Portugal optou por apenas chamar a Lisboa o seu representante em Moscovo.

A possibilidade de um ataque militar à Síria foi discutida pelos Estados Unidos e seus parceiros, particularmente a França e o Reino Unido, após relatos de um suposto ataque de armas químicas na cidade síria de Duma.

Costa reiterou sobretudo o desejo de que "as relações possam ser o mais próximas possível, em particular no domínio da cooperação na área das ciências e da investigação científica, no domínio do ensino superior e no domínio das relações económicas".

"Portugal pode ser uma excelente plataforma para empresas que estão instaladas na União Europeia e que não têm vontade de sair deste espaço", declarou então António Costa perante uma plateia de empresários indianos.

Nesta sua visita, o primeiro-ministro estará ainda numa segunda conferência económica sobre negócios entre Portugal e a Índia, que tem uma comunidade considerada poderosa do ponto de vista económico na Grã-Bretanha.

No primeiro dia de presença em Londres, ao início da noite, António Costa estará ainda numa receção com a comunidade portuguesa residente em Londres.

António Costa participa depois num fórum de negócios "Portugal/Reino Unido -uma ocasião para apresentar os mais relevantes indicadores sobre a evolução da economia portuguesa ao longo dos últimos".

Edition: