Centenas de pessoas no último adeus ao físico britânico

Centenas de familiares, amigos e colegas reuniram-se este sábado em Cambridge, leste de Inglaterra, para participar nas cerimónias fúnebres do físico britânico Stephen Hawking, cujo génio científico é reconhecido a nível internacional. O cientista morreu no último 14 de março.

Hawking desafiou as previsões de que ele viveria apenas por alguns anos, embora sua condição rara - esclerose lateral amiotrófica (ELA) - gradualmente roubasse sua mobilidade.

"A vida e o trabalho de nosso pai significaram muitas coisas para muitas pessoas, religiosas e não religiosas". Por isto, a cerimônia será inclusiva e tradicional, refletindo a amplitude e diversidade de sua vida.

"O nosso pai viveu e trabalhou em Cambridge durante mais de 50 anos".

Segundo os filhos do cientista, Lucy, Robert e Timothy, a escolha de Cambridge ocorreu pois "foi a cidade que ele tanto amou e que o amava tanto".

Mais tarde, a 15 de Junho, será celebrada uma missa de acção de graças na abadia de Westminster e, nessa altura, escreve a BBC, as cinzas de Hawking serão depositadas junto ao jazigo de outros dois cientistas de gabarito mundial, Isaac Newton (enterrado em 1727) e Charles Darwin (sepultado em 1882). Era doutor em cosmologia. Ele deixou estudos importantes sobre as origens do universo, os mistérios dos buracos negros e a natureza do próprio tempo.

Entre as 250 pessoas presentes, estão os atores britânicos Eddy Redmayne e Felicity Jones, que interpretaram Hawking e sua esposa no filme "A Teoria de Tudo".

Ele estava confinado a uma cadeira de rodas, quase completamente paralisado e incapaz de falar, exceto através de seu sintetizador de voz.

Edition: