Carro utilizado por executores da vereadora Marielle é achado em MG

As informações podem ser passadas para o Disque Denúncia, através dos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados: (21) 98849-6099, para a Central de Atendimento: (21) 2253-1177, pelo Facebook ou pelo aplicativo Disque Denúncia RJ.

"Ele negou. Não temos elementos para comprovar a participação dele [na morte de Marielle e Anderson]", afirmou o delegado à "Agência Brasil". Uma perícia será feita no carro. Para confirmar se o veículo é realmente um dos utilizados pelos criminosos na execução de Marielle Franco, uma equipe da polícia do Rio se direcionou à cidade mineira durante a tarde de hoje.

Marielle e o motorista foram mortos a tiros dentro do carro em que estavam por volta das 21h30 da quarta-feira na Rua Joaquim Palhares, no Estácio. A parlamentar viajava no banco de trás do carro, quando criminosos emparelharam um veículo com o carro da vítima e dispararam nove vezes. A Polícia Civil do Rio já tem imagens do momento em que Marielle saía do encontro.

Única sobrevivente do ataque ao carro de Marielle Franco (PSOL) na última quarta (14), uma assessora da vereadora deixou o estado do Rio para se proteger. O veículo em que ela estava foi alvejado por tiros disparados de outro carro. Uma assessora que também estava no veículo não foi atingida. Destes, quatro alvejaram Marielle e três acertaram as costas do motorista Anderson Gomes. Algumas apontam possíveis envolvidos no crime e outras detalham informações sobre os carros usados pelos bandidos.

Na 6ª feira (16.mar), imagens de câmeras de segurança foram divulgadas.

Temer nomeou como interventor o general do Exército Walter Braga Netto. A situação na cidade atingiu proporções tais, que no mês passado o Exército se viu forçado a assumir o controlo da segurança no Rio de Janeiro.

A falta de estrutura atinge em cheio o moral da tropa policial e torna os agentes vítimas da criminalidade.

Edition: