João Doria no limite: "Vão ter que me matar"; motivo é preocupante

Em um forte discurso diante de moradores de Heliópolis, na região sul da capital paulista, o prefeito João Doria (PSDB) criticou o Ministério Público e a Justiça após ser proibido de usar seu slogan "Acelera SP" e fazer o gesto com as mãos que acompanha a marca.

Por esses motivos, ele pede à Justiça que o chefe do Executivo se abstenha de utilizar o slogan "Acelera SP" ou seu símbolo, sob pena de, não o fazendo, pagar multa pessoal diária de R$ 50 mil. Em relação a isso, a medida é válida para as divulgações que estão relacionadas a atos de gestão do município de São Paulo.

"A Prefeitura de São Paulo ressalta que jamais utilizou publicidade oficial que contenha a expressão Acelera São Paulo ou qualquer símbolo que promova o prefeito. É de se estranhar o fato de o promotor tentar interferir no comportamento do prefeito nos seus perfis pessoais em redes sociais". "Tal interferência resulta num atentado à liberdade de expressão e merece providências judiciais". A Promotoria pede a proibição até de memes de internet que citem a marca. "O que configura promoção pessoal às custas do erário público, gerando enriquecimento ilícito do prefeito e violação aos princípios que norteiam a Administração Pública", informou o promotor.

A decisão de sexta obrigava, assim, a retirada de todos os símbolos da campanha SP Cidade Linda. Cabe recurso do prefeito.

Para o desembargador, a decisão liminar "apenas afeta uma forma específica de fazer publicidade, por considerá-la, em juízo de cognição sumária, indevida".

Nelson investigou o uso da marca antes de o gestor assumir a Prefeitura.

Edition: