Petrobras reduz prejuízo líquido em 2017

É o quarto ano consecutivo de resultado negativo da empresa.

Em nota, a empresa aponta que teria alcançado um lucro líquido de R$ 7 bilhões sem as despesas extraordinárias -especialmente o acordo de R$ 11 bilhões para encerramento da ação coletiva de investidores nos EUA e a adesão a programas de regularização de débitos federais, que somaram R$ 10,4 bilhões-, que tiveram impacto significativo no resultado.

Em 2014, a companhia acumulou prejuízo de R$ 21,5 bilhões.

Nos últimos anos, a Petrobras protagonizou o mega escândalo de corrupção conhecido como Petrolão, apesar de registrar uma melhora líquida em relação aos 14,824 bilhões de reais em perdas de 2016.

Em 2017, a receita líquida somou R$ 283,7 bilhões, ligeira alta de 0,4%.

Já em fevereiro deste ano a fatia da companhia no mercado de gasolina estava em 77% e em 79% no de diesel.

"Quando você olha a valorização das ações da empresa entre junho de 2016 e agora, vê uma empresa que saiu de R$ 108 bilhões de valor de mercado para uma que bate R$ 300 bilhões".

Antes da implementação, a proposta será submetida à aprovação do Conselho de Administração da empresa e de assembleia de acionistas. Em comunicado divulgado nesta quinta-feira, 15, junto com o balanço do quarto trimestre, a companhia diz que o conselho de administração determinou a realização de estudos para alterações no estatuto social na cláusula de destinação dos resultados, "com o objetivo de estabelecer pagamentos trimestrais de Dividendos ou de Juros sobre Capital Próprio, bem como possibilitar o pagamento de dividendos intermediários à conta da reserva de lucros, observadas as disposições legais aplicáveis". "Mas reconhecemos que a falta de dividendos no período é importante", disse Parente.

Edition: