Leilão de triplex atribuído a Lula é marcado para maio, diz site

O imóvel foi pivô da condenação do petista por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em primeira e segunda instância. O apartamento foi avaliado pela Justiça em R$ 2,2 milhões, em fevereiro deste ano. A primeira data para venda será o dia 15 de maio, às 14h, e a segunda deve acontecer no dia 22 de maio, no mesmo horário.

Assim, o magistrado determinou que o valor arrecadado com o leilão do tríplex, seja depositado em juízo e, com o trânsito em julgado da ação penal contra Lula, seu valor repassado à Petrobras (em caso de confirmação da sentença) ou a seu proprietário de fato (seja OAS ou Lula), em caso de revisão da decisão.

"A venda do tríplex é uma tentativa de evitar novas decisões da própria Justiça que reforçam que o imóvel não é e jamais foi do ex-presidente Lula, como ocorreu recentemente com a Justiça de Brasília, que vinculou o bem ao pagamento de dívidas da OAS", diz a nota de Zanin. A suposta vantagem, no valor de R$ 2,2 milhões, teria saído de uma conta de propina destinada ao PT em troca do favorecimento da empresa em contratos na Petrobras.

A defesa enfatizou que o tríplex foi usado em um "enredo criado com o objetivo pré-determinado de condenar o ex-presidente" e classificou a decisão da Justiça -que o condenou a 12 anos e um meses de prisão- de "mau uso e no abuso das leis e dos procedimentos jurídicos para fins de perseguição política".

Ele declarou ainda que Lula jamais teve a posse e muito menos a propriedade do imóvel: "A prova final é que o mesmo juiz Sérgio Moro reconhece que os recursos do leilão podem ir para a OAS", apontou.

A pedido do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, foi realizada uma perícia no tríplex do Guarujá.

De acordo com o laudo realizado no tríplex, no litoral de São Paulo, foram encontrados alguns móveis "em bom estado de conservação" no interior do apartamento, como geladeira, fogão e exaustor, além de camas e armários.

"No segundo pavimento existem três quartos compactos (sendo um deles suíte), um banheiro e um hall de distribuição".

"Existe um elevador que integra os três andares, sendo que não foi possível verificar seu funcionamento visto que a luz da unidade não está ligada".

A oficial de Justiça aponta que o porteiro "Sr".

Edition: