BNDESPar confirma proposta da Paper Excellence para compra de fatia na Fibria

Depois de várias notícias que deram conta do interesse por parte da Suzano Papel e Celulose, ontem entrou nesta guerra a holandesa Paper Excellence e fez acentuar a tendência de ganhos das acções.

A proposta da Paper Excellence é extensiva à Votorantim por meio do direito de venda conjunta (tag along) previsto no Acordo de Acionistas celebrado entre BNDESpar e Votorantim, e considera também a consequente necessidade de realização de oferta pública de aquisição da totalidade das ações em circulação da Fibria, nos termos do Artigo 254-A da Lei 6.404/76.

As ações da Fibria, que fecharam o pregão de segunda-feira (12) em alta de 2,95%, recuavam cerca de 0,7% às 12:46. O banco de fomento (com 29,08%) e a família Ermírio de Moraes (29,42%) são os principais acionistas da Fibria. Segundo o fato relevante, a manifestação da CA Investment é "condicionada à implementação de diversos eventos futuros, acerca dos quais não é possível prever qualquer conclusão neste momento".

Os analistas do Credit Suisse Ivano Westin, Renan Criscio e Rafael Cunha, avaliam que uma fusão com a Suzano geraria aproximadamente R$ 12 bilhões em sinergias em um cenário-base. Até a última sexta-feira (9), o volume diário médio de negociações em 2018 era de R$ 8,82 bilhões. A Paper Excellence detém 49% da Eldorado Celulose, fundada pelo grupo JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista. Já a Suzano, que caiu 4,45% na véspera, avançava 1,4%.

Concluir a negociação com sua maior concorrente é prioridade para os Feffer, que estão na terceira geração e têm a Suzano como o principal negócio da família. A consolidação de um grande player no setor é um assunto que sempre foi falado tanto pelos comandantes da Fibria como os da Suzano.

Edition: