Roberto Jefferson pede exoneração de jovem indicado pelo PTB para o Trabalho

Acomoda seu paletó na sala 444, onde, desde 28 de dezembro, coordena e autoriza os pagamentos a fornecedores da pasta - coisa de R$ 473 milhões por ano. A atribuição da função de gestor financeiro foi assinada pelo então secretário-executivo da pasta, Helton Yomura.

"A princípio, Mikael manteria o cargo de Coordenação de Documentação e Informação do ministério, pelo qual recebe R$ 5,1 mil brutos". A experiência de trabalho do jovem é como vendedor numa loja de óculos.

A meritocracia em Brasília é uma questão familiar.

No ano passado, auditores da Controladoria-Geral da União (CGU) recomendaram que a empresa e os responsáveis pelo contrato no Ministério do Trabalho devolvessem R$ 4,6 milhões por causa de sobrepreço nos serviços. Há pouco tempo, escrevia nas redes sociais posts sobre ter ficado de recuperação no final do ensino médio ("qm passa direito é busao kakakwkaka"). Após ser aprovado, ele ingressou na faculdade para cursar Administração.

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, afirmou nesta sexta-feira (9) que pediu ao ministro do Trabalho, Helton Yomura, que exonere Mikael Tavares Medeiros da coordenação da área de recursos logísticos da pasta. "Errou quem resolveu colocar um jovem inexperiente em um cargo importante no MTb", disse Roberto Jefferson em seu perfil no Twitter.

Mikael Tavares Medeiros é filho do delegado da Polícia Cvil de Goiás Cristiomário Medeiros, que foi candidato derrotado a prefeito de Planaltina de Goiás em 2016 pelo PTB.

Detalhe: Leonardo José Arantes, que assina o afastamento de Mikael, é sobrinho de Jovair Arantes, justamente quem viabilizou a indicação do jovem de 19 anos no Ministério do Trabalho, comandado pelo presidente do PTB, Roberto Jefferson.

Edition: