Trump aceita convite de Kim Jong-un para encontro

O encontro - o primeiro entre um presidente americano e um líder norte-coreano - ocorrerá em maio, segundo o conselheiro.

Kim Jong-un convidou Donald Trump para um encontro e o presidente dos EUA aceitou. De acordo com o conselheiro de Segurança Nacional da Coreia do Sul, o líder do país vizinho afirmado entender que Coreia do Sul e Estados Unidos seguirão realizando exercícios militares conjuntos. O anúncio representa uma grande virada nas relações entre Estados Unidos e Coreia do Norte e uma importante conquista para a diplomacia mundial.

A data do encontro não foi divulgada. Depois de um ano de escalada de tensões, os mercados estão a ver esta abertura de Pyongyang como positiva, esperando que os testes nucleares levados a cabo pela Coreia o Norte sejam o tema central.

"Pode existir uma janela de oportunidade atualmente para fazer avançar esta discussão", disse Tomas Ojea Quintana, na introdução ao seu relatório divulgado hoje, que será apresentado na segunda-feira no Conselho dos Direitos Humanos em Genebra.

O líder da Coreia do Norte Kim Jong Un cumprimenta o chefe da delegação sul-coreana Chung Eui-yong durante encontro em Pyongyang na Coreia do Norte em 5 de março de 2018- KCNA VIA KNS  AFP
Donald Trump aceita convite de Kim Jong-un para encontro

A aproximação entre as duas Coreias ganhou força com a recente participação de uma delegação do Norte nos Jogos Olímpicos de Inverno que se realizaram em Fevereiro, na cidade sul-coreana de Pyoncheang.

A confirmar-se, será um encontro inédito entre os líderes dos dois países.

Na ocasião, o líder norte-coreano não só aceitou encontrar-se com o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, em Abril, como enviou um convite ao Presidente Trump para conversações.

O anúncio de que o convite tinha sido feito trazia ainda outra notícia: a de que Kim Jong-Un se disponibilizou para suspender os testes nucleares. "Entretanto, todas as sanções e a máxima pressão devem manter-se", referiu Sarah Sanders.

Edition: