Braga Netto e juiz Bretas acertam fluxo de recursos para segurança

O interventor federal, general Braga Netto, se reuniu no fim da manhã desta quinta-feira com o juiz da 7ª Vara Federal, Marcelo Brêtas, responsável pelo processo da Lava-Jato no Rio. "Os pedidos deverão passar pelo Secretário de Estado de Segurança, general Richard Nunes, e pelo interventor [.], que fará chegar ao juiz Marcelo Bretas", segundo o CML.

Nomeado pelo presidente Michel Temer como interventor na segurança no Rio de Janeiro, o militar disse ainda que as Forças Armadas darão apoio para que as UPPs possam funcionar dentro das comunidades.

O porta-voz do GIF também afirmou que os pedidos para os repasses já existiam, mas que irão obedecer um novo fluxo devido à intervenção.

Mais cedo, em entrevista à Rádio CBN, o ministro disse ter certeza de que "em três ou quatro meses os resultados já serão visíveis" no Rio.

Itamar disse que o juiz Bretas sinalizou positivamente à possibilidade de recursos recuperados do esquema de corrupção serem destinados à segurança, que se somará aos recursos do estado e do governo federal.

Segundo o porta-voz, as celas decoradas para visitas íntimas no Presídio José Frederico Marques, em Benfica, onde cumprem pena os presos da Lava Jato, foram discutidas pelo interventor com o secretário estadual de Administração Penitenciária, David Anthony.

Os recursos serão utilizados para a compra de tecnologia utilizada em investigações pela Polícia Civil e equipamentos e veículos utilizados pelas duas polícias. "O general teve a oportunidade de declarar todo o apoio do gabinete de intervenção federal às ações da operação Lava Jato".

No ano passado, Bretas já havia disponibilizado R$ 250 milhões recuperados na Lava Jato para o pagamendo do décimo-terceiro salário de aproximadamente 142 mil ex-servidores aposentados do estado do Rio de Janeiro.

Edition: