Amazon prepara início da venda direta de eletrônicos no Brasil

Cinco meses depois de lançar no Brasil sua operação de venda de produtos de terceiros, o chamado marketplace, a Amazon está preparando terreno para começar a comercializar produtos diretamente. Elas pediram para não ter a identidade revelada porque as negociações ainda estão em andamento. Os eletrônicos seriam o principal interesse, mas a venda de outros produtos como cosméticos também estaria sendo estudada. A Amazon chegou por aqui em 2012, oferecendo somente livros físicos e e-books.

Ao começar a controlar todas as etapas da venda, a Amazon não só expande seus serviços em território brasileiro, como tem a capacidade de melhorar os preços e o atendimento, resultando em entregas mais rápidas e pressionando outras gigantes do varejo, como a B2W (Submarino, Shoptime, Americanas), Magazine Luiza, Mercado Libre Inc e Via Varejo (Casas Bahia e Pontofrio).

Essa realidade vai mudar em breve, já que as fabricantes foram convidadas para uma série de reuniões no período de 26 de fevereiro e 2 de março no hotel Blue Tree Morumbi, em São Paulo. Ao que parece, a empresa mostrou o plano de negócios e os interessados teriam até o dia 09 de março para se cadastrarem no sistema da gigante do varejo.

Em declaração oficial, porém, a companhia não confirmou os planos de expansão, mas disse estar sempre trabalhando em possibilidades para o futuro, o que inclui "centenas de reuniões" com revendedores e fabricantes do Brasil. A companhia pretende ainda usar serviços de transporte e atendimento ao cliente próprios. Além dos planos de alugar um armazém de 50 mil metros quadrados na Grande São Paulo, ela também estuda estocar e vender esses produtos, cuidando de toda a logística de entrega que atualmente fica por conta de seus parceiros.

A Amazon iniciou sua operação no Brasil em novembro de 2013, a princípio apenas com sua loja de apps para Android.

Edition: