Microsoft confirma que o "modo S" vai substituir Windows 10 S

Considerando as previsões sobre a distribuição de quota de mercado prevista entre o Windows 10 S e o Windows 10 da Microsoft e a forma de funcionar do modo S, este poderá desencadear mudanças relevantes no mercado. Sobretudo no "ecossistema" do fabricante.

Por isso, a empresa decidiu transformar o Windows 10 S em um modo dentro do Windows 10.

A aposta impressionante na variante do sistema operativo, formalmente confirmada como modo esta semana por Joe Belfiore, envolve já uma agenda agressiva.

O Windows 10 S é uma versão mais limitada e leve do Windows 10, que foi desenhada para concorrer directamente com o sistema operativo Chrome OS da Google em ambientes como escolas em tem de haver mais controlo sobre o que é instalado e executado nos computadores.

No mês passado, rumores ventilavam a possibilidade do Windows 10 S - a versão light do software com foco em estudantes e clientes corporativos - deixar de ser uma edição independente para ser apenas um modo do Windows 10 Home, do Windows 10 Pro e do Windows 10 Enterprise.

E a mesma, conhecida como Redstone 4, deverá surgir nos PC durante o início de Abril. Contudo a implementação era algo complicada e para que os utilizadores pudessem usar o sistema operativo num computador que não o trouxesse de série, tinham de obter uma cópia do Windows 10 Pro.

Se o modo S do Windows 10 vai ser aquele definido por omissão, para novos PC com Windows 10, parece ser uma questão irrelevante neste momento.

Mas para quem não está interessado no novo modo Windows 10 S, há uma mudança ainda mais importante. "Esperamos ver os novos dispositivos do Windows 10 fornecidos com o modo S, disponível dos nossos parceiros nos próximos meses", avança ainda. O custo de desbloqueio do "modo S" dependerá da versão do Windows e, nos EUA, irá dos 0 aos 49 dólares.

Edition: