Clientes do Mercado Livre se livram de aumento nos Correios

Uma liminar da Segunda Vara da Justiça Federal de São Paulo suspendeu o aumento das tarifas nas entregas de encomendas por Sedex ou PAC para itens comprados pelo site Mercado Livre.

Os Correios informaram que cumprem a decisão judicial que se aplica apenas ao Mercado Livre, enquanto trabalham para suspendê-la.

O Mercado Livre comemorou a decisão assinada pela juíza Rosana Ferri, da Segunda Vara da Justiça Federal de São Paulo, e confirmou por meio de nota à imprensa que seus clientes "não serão impactados pelos aumentos impostos pelos Correios".

O pedido à Justiça ocorre após a estatal anunciar aumento de até 51% nos preços de encomendas do tipo PAC e Sedex, que entram em vigor nesta terça.

Os Correios informaram que já foram notificados e "estão trabalhando para obter a suspensão da liminar". Na visão da companhia, o aumento era "uma medida unilateral dos Correios" que poderia "impactar seriamente a inclusão geográfica, digital e econômica, especialmente para aqueles clientes das regiões mais remotas do País". O e-commerce organizou uma campanha para uma manifestação contra o reajuste dos Correios, ressaltando que o aumento chegaria a 51% em compras e vendas pela internet. "Precisamos continuar com força total para que isso seja definitivo", defendeu.

Na semana passada, os Correios anunciaram um reajuste no valor do frente, o que deixou o Mercado Livre, que depende profundamente dos serviços de entrega da estatal, bastante irritado.

A liminar também suspendeu a cobrança de uma tarira extra de R$ 3 para entregas no Rio de Janeiro.

Essa taxa havia sido anunciada junto com o reajuste, e a empresa apontou como justificativa a "situação de violência" e o consequente aumento do "custo para entrega de mercadorias nessa localidade". Para a entidade, trata-se de uma quantia adicional, que discrimina os moradores da cidade do Rio.

Edition: