PF cogitou prisão de Jaques Wagner

"Eu gosto de relógios, mas não tem nenhum valor ali de luxo", disse. A PF vai apurar se os relógios de luxo foram presenteados por empreiteiras que obtiveram contratos com o governo da Bahia. Os três foram alvo de mandados de busca e apreensão do inquérito que investiga desvios no empreendimento, situado em Salvador. Para o governador, as buscas na residência e no gabinete de Wagner na Secretaria que ocupa no governo do Estado têm "cunho midiático e político" porque, segundo ele, equipes de reportagem chegaram à casa de Wagner antes dos policiais.

Os presentes da Odebrecht ao petista já tinham sido citados na delação do ex-executivo da Odebrecht Cláudio Melo Filho, que informou que presenteou o ex-governador com um relógio estimado em R$ 20 mil em seu aniversário. "Verificamos que o então governador recebeu boa parte do valor desviado para pagar campanha", afirmou a delegada Matutino. Havia dois intermediários, seja pela OAS, seja pela Odebrecht, que também foram alvo de busca nesta data (ontem). A informação foi divulgada pela Polícia Federal (PF), que cumpriu mandados de busca e apreensão na casa de Wagner nesta segunda-feira, 26, durante a Operação Cartão Vermelho.

Ele reiterou que é incompreensível em qualquer lugar do mundo a imprensa chegar antes num local onde vai haver uma operação judicial antes de quem vai executar esta ação (Polícia Federal).

A PF, então, pretende ouvir os suspeitos em depoimentos que ainda serão agendados.

O nome de Jaques Wagner era apontado como uma das possibilidades de plano B para substituir o ex-presidente Lula no pleito de outubro. "A investigação comprovará essa lisura", afirmou Costa em evento na Governadoria.

"A escalada do arbítrio está diretamente relacionada ao crescimento da pré-candidatura do ex-presidente Lula nas pesquisas, nas manifestações populares, nas caravanas de Lula pelo Brasil", escreveu, em nota, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR). Também foram enquadrados o secretário da Casa Civil do Estado, Bruno Daulster, e um empresário. Como a medida está suspensa desde dezembro, por decisão do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), a Polícia Federal requereu a prisão temporária.

O PT e os movimentos de esquerda não podem aceitar essa perseguição política realizada pelo judiciário e a polícia federal, devem denunciar e mobilizar suas bases para impedir a prisão de suas lideranças e militantes.

O advogado Pablo Domingues, que defende o petista, afirmou que Wagner está "absolutamente tranquilo".

Edition: