Blairo Maggi diz que não disputará eleições nem apoiará candidatos

"Sei que haverá uma reforma ministerial em abril, por isso coloquei o cargo à disposição do presidente para que ele se sinta à vontade para fazer os ajustes necessários, mas fui convidado a permanecer no cargo". "Se eu não estou disposto à disputar eleição, estou abrindo mão de foro (privilegiado)". Em janeiro, quando esteve no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, o ministro voltou a falar sobre a possibilidade de não participar da eleição.

"Há um ano já disse ao presidente que talvez não disputasse as eleições e ele disse que para ele era muito bom que ficasse até o final com ele".

O ministro afirmou ainda que não irá participar sequer das discussões políticas em Mato Grosso porque irá se dedicar à gestão no Ministério da Agricultura. Tomei essa definição neste momento devido ao quadro político também porque minha figura também ficava ancorada no processo.

Governador de Mato Grosso eleito em 2002, Blairo deve deixar a vida pública após 15 anos na política. "Claro que qualquer coisa negativa que tenha que responder preocupa, mas são fatos que estão colocados e não fazem parte das discussões políticas, mas das discussões jurídicas", disse. Maggi diz que pretende aproveitar mais a vida e a família. "Se eu tivesse obedecido meu pai hoje estaria fluente em inglês". Antes de oficializar seu futuro político, Maggi vinha aparecendo nas pesquisas eleitorais no Estado como principal nome para o Governo e também para o Senado. 7 de abril é o prazo máximo para que os ministros que disputarão cargos no pleito de outubro deixem suas pastas. "Por enquanto as questões são de interesse dos partidos e dos políticos", afirmou. Em 2011 disputou uma vaga para o Senado e tem mandato até fevereiro de 2019.

Edition: