Mentor de estupro em Castelo do Piauí pede justiça

Ele é acusado de ser o mandante do estupro coletivo ocorrido na cidade em 27 de maio de 2015, em que uma das vítimas morreu. Em depoimento à imprensa, o acusado negou a participação no crime e afirmou que estava em Campo Maior porque estaria fugindo de um assalto que havia praticado a um posto de gasolina na cidade. Três deles foram condenados e cumprem medida sócio-educativa no Centro Educacional Masculino (CEM) em Teresina. O Ministério Público e assistência da acusação tem uma hora e meia para sustentarem a sua tese. Em seguida pelo menos tempo os advogados de defesa farão sustentação oral. Após os depoimentos, começam os debates entre a acusação e defesa. A previsão é que o resultado do julgamento seja divulgado apenas depois das 22h. A decisão foi lida pelo juiz Leonardo Brasileiro na madrugada desta quarta-feira (28), após o júri se reunir por cerca de duas horas. Os defensores Darci Filho e Leandro Ferraz auxiliam o acusado.

Segundo informações repassadas pelo soldado Mota da Polícia Militar de Castelo do Piauí, um forte esquema de segurança foi montado para que o julgamento possa acontecer sem transtornos. Durante o julgamento, as três vítimas que sobreviveram foram ouvidas. Não há previsão para o fim do julgamento.

Na manhã do dia 27 de maio de 2015, quatro adolescentes foram ao morro do Garrote, na zona rural de Castelo do Piauí, para tirar fotografias para um trabalho escolar. O réu foi considerado responsável pelos crimes de estupro consumado, homicídio consumado, homicídio tentado, porte ilegal de arma e corrupção de menores. As quatro adolescentes, com idades entre 15 e 17 anos, foram amarradas, agredidas, estupradas e depois jogadas do alto de um penhasco de mais de 6 metros de altura próximo a um ponto turístico da cidade.

Edition: