Hospitais com 500 milhões de euros bloqueados

Desde o início de Janeiro que 39 hospitais têm nas suas contas 500,19 milhões de euros destinados a pagar dívidas aos fornecedores, mas não podem dispor desses valores porque foram proibidos pelas Finanças de movimentar esses dinheiros até novas instruções. De acordo com o jornal, um mês depois, ninguém sabe dizer quando a verba será descongelada.

O Jornal de Notícias sublinha que há fornecedores do SNS, sobretudo os mais pequenos, com salários em atraso e dívidas à banca, que aguardam pelo pagamento de facturas, algumas de 2016.

Em resposta ao JN, o Ministério das Finanças argumenta que as verbas transferidas servem para pagar dívida vencida a fornecedores, por ordem de maturidade.

O gabinete de Mário Centeno acrescenta que o processo está a ser supervisionado pela Inspeção-Geral das Finanças.

Ao JN, o presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, Alexandre Lourenço, criticou o que considera ser uma "estratégia de constante restrição da tesouraria dos hospitais", que, defende ainda, "não tem resultado, gera mais ineficiência e desperdício e está a contribuir para agravar a situação financeira dos hospitais". "Os conselhos de administração estão inibidos de usar a verba".

Edition: