Secretaria de Saúde confirma 15 mortes por febre amarela em Minas

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, 82% da população mineira está imunizada e pouco mais de 3,5 milhões de habitantes ainda precisam se vacinar.

"Entretanto, as ações implementadas pelos entes federativos não conseguiram obter a escala necessária de cobertura vacinal entre os municípios brasileiros localizados nas áreas de vigilância permanente, o que ocasionou um grande número de internações", adianta. Ao todo, incluindo óbitos e casos que evoluíram para a cura, já foram confirmados 22 infecções pela doença.

"Todos os trabalhadores do local tinham tomado vacina desde a campanha que fizemos no ano passado". Em todo o Estado, são 12 os casos confirmados da doença, dos quais 11 resultaram em morte.

Outros 34 casos de suspeita da doença continuam sob investigação pelas autoridades de saúde de Minas.

Em Cordisburgo, a população que não está com a cobertura vacinal em dia ou àqueles que desejarem se vacinar, podem procurar a UBS - Unidade Básica de Saúde Cordisburgo, que fica na Rua do Rosário, ao lado da Farmácia de Minas, para receberem a medicação.

No Rio, os corpos de quatro macacos prego encontrados na manhã de hoje em uma rua próxima à Floresta da Tijuca, serão encaminhados para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para que sejam feitos exames para identificar se estavam infectados pelo vírus da febre amarela. De entre os casos confirmados, nove pessoas morreram. Já o índice de letalidade da febre amarela em Minas Gerais é de aproximadamente 68,2%.

Segundo a SES (Secretaria de Estado da Saúde), as últimas duas mortes ocorreram em Goianá (Zona da Mata) e Nova Lima (Região Metropolitana), cidade que registrou o maior número de vítimas –quatro, ao todo.

O número de casos de febre amarela no Brasil subiu para 35, o que significa que em uma semana aumentou em 24 os registros da doença no Brasil.

Edition: