Médico assume ter gravado iniciais em fígado de pacientes

Porém, tempos depois, descobre que o seu fígado ficou marcado com as iniciais do cirurgião que realizou o procedimento.

No Reino Unido, um médico cirurgião está esperando sua sentença após ter confessado que tatuou suas iniciais nos órgãos que transplantou em dois pacientes.

Tudo ocorreu bem, exceto pelo fato dele ter utilizado um laser de gás argônio, equipamento normalmente utilizado para evitar hemorragias, para gravar as inicias do próprio nome, SB, no fígado dos pacientes. Simon Bramhall já havia sido suspenso em 2013 e pediu demissão em maio de 2014 após um processo disciplinar.

Simon Bramhall foi declarado culpado das agressões, mas assegurou que nunca causou nenhum tipo de dano físico a suas vítimas, contou ao portal El Mundo.

Segundo um dos procuradores do caso, Tony Badenoch, "é um caso extremamente incomum e complicado". Ele responderá em liberdade pelo crime até o anúncio da sentença, em janeiro de 2018. As marcas não danificaram o funcionamento do órgão e desapareceram sem nenhuma intervenção cirúrgica. O cirurgião declarou-se culpado, esta quarta-feira, num caso que o procurador de justiça considerou não ter precedentes no direito penal.

Ainda mais chocante do que descobrir a história desse incidente é saber que não foi o único e que existem vários outros semelhantes a ele. O caso foi descoberto quando um outro médico, durante uma cirurgia posterior, descobriu as iniciais que Bramhall havia deixado.

Edition: