Menina nasce com o coração fora do corpo e sobrevive

A condição, chamada de ectopia cordis, é extremamente rara, com apenas alguns casos por milhão de nascimentos, dos quais a maioria acaba nascendo morto. O Glenfield Hospital, em Leicester, explicou que não conhece outro caso no Reino Unido em que o bebé tenha sobrevivido.

Vanellope Hope Wilkins nasceu há três semanas.

"Cerca de 50 minutos após o nascimento, Vanellope estava suficientemente estável para ser transferida para a sala onde tinha nascido, para esperar pelas equipas de anestesistas, profissionais de doenças congénitas do coração e cirurgiãos pediátricos, para começarem as tarefas de colocar o coração no tórax".

A última e mais recente operação a Vanellope, envolveu tirar uma parte da pele debaixo dos seus braços e colocá-la junto do coração, de forma a protegê-lo, já que a menina também não tem esterno nem costelas.

Uma ecografia às nove semanas de gravidez congelou os britânicos Naomi Findlay e Dean Wilkins: A filha sofria de ectopia cardíaca, que se caracteriza pela localização do coração fora da cavidade torácica.

Em declarações ao jornal, o pai do bebé, Dean Wilkins, confessa que nem chegou a perceber bem, na altura, o que fora diagnosticado à filha.

Vanellope estava prevista para a véspera de Natal mas foi necessário efetuar um parto de cesariana a 22 de novembro para evitar os riscos de infeção e possíveis danos no coração.

"Foi um verdadeiro choque quando o ultrassom mostrou que o coração dela estava do lado de fora e assustador porque nós não sabíamos o que poderia acontecer", lembrou Naomi. Segundo o pediatra cardiologista Frances Bu'Lock, a menina se recupera bem e, em breve, deve deixar de respirar com a ajuda de aparelhos. Na última operação, a pele da própria bebê foi usada para cobrir o espaço deixado no peito.

Não sendo esta uma hipótese para os pais, o casal decidiu prosseguir com a gravidez, depois de às nove semanas ter ouvido o batimento cardíaco, o que lhes deu força para continuar, de acordo com a BBC.

Edition: