Sem acordo, profissionais da EBC seguem em greve

O ator Pedro Cardoso deixou o programa "Sem Censura", da TV Brasil, canal público de televisão vinculado à Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), assim que a atração começou. O presidente também foi alvo de críticas de Cardoso. "E não participo de programa em empresas que estão em greve", disse o ex-ator global. Pedro pediu que enviem informações sobre o Brasil. "Eu não vou responder essa pergunta nem nenhuma outra". Vim sentar aqui porque, além da greve, que não me cabe julgar, não conheço a negociação e não estou a par, também não me cabe emitir opinião a respeito de quem está fazendo a greve e de quem está aqui trabalhando, cabe a mim o maior respeito a todos vocês.

"Mas diante deste Governo que está comandando o Brasil, eu tenho convicção que as pessoas que estão fazendo a greve estão cobertas de razão". "Soube que o presidente desta empresa, que pertence ao povo brasileiro, fez comentários extremamente inapropriados a respeito do que tinha dito uma colega minha onde a presença do sangue africano é visivel na pele porque o sangue africano está presente em todos nós, em alguns de nós também presente na pele". Há 10 dias, os trabalhadores da EBC declararam estado de greve por conta das propostas de congelamento dos salários e cortes de benefícios.

Segundo a Folha de São Paulo, o presidente da EBC, Laerte Rimoli, fez publicações irônicas relacionadas declarações feitas pela atriz Taís Araújo durante uma palestra proferida por ela durante o TEDxSãoPaulo.

Os funcionários da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) estão em greve desde 14 de novembro.

Os jornalistas e radialistas da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), das redações de São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e Maranhão, decidiram, em assembleia realizada na quarta-feira (22), que continuarão mobilizados contra a falta de reajuste salarial e a retirada de direitos do acordo coletivo. Em sua página no Facebook, ele compartilhou memes considerados racistas contra a atriz Taís Araújo.

Em seguida, finalizou seu discurso, que durou cerca de um minuto e meio, em tom mais alterado: "Então se esta empresa, que é casa do povo brasileiro, tem na presidência uma pessoa que fala contra isso, eu não posso falar do assunto que eu vim falar aqui".

Na tarde desta quinta-feira (23), Pedro Cardoso virou um dos assuntos mais comentados no Twitter.

Edition: