Fraudes e falsos descontos na Black Friday? Deco ensina a proteger-se

O dia de promoções em todo o Brasil acontece na próxima sexta-feira (24) e deve movimentar 2,5 bilhões de reais este ano, de acordo com dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

A maior parte das reclamações contra essas empresas ocorre por que elas costumam não entregar o produto ou então devolvem o dinheiro ao consumidor.

O PROCON/MPPI realizará fiscalizações durante a Black Friday com o objetivo de coibir a maquiagem de preços nas principais redes de supermercados e lojas de departamentos da Capital, devendo estender a orientação a todos os órgãos de defesa do consumidor do Piauí, integrados à Rede PROCON/MPPI. Os casos dessas empresas, nem mesmo o Procon consegue resolver, pois as empresas não tem identificação de CNPJ, e nem endereço.

Quando receber uma oferta, é importante que o consumidor não clique direto no link, vá ao site e confira.

"Utilize a ferramenta Comparar Preços para conhecer a evolução dos preços dos produtos nas lojas online e descobrir se oferecem descontos reais durante a Black Friday", explica a Deco no site.

Manter um antivírus atualizado, acompanhar produtos e preços e guardar as informações da pesquisa também são dicas fundamentais. "Entender o comportamento do cliente em seu site e saber quais as categorias de produtos e serviços mais buscados vai proporcionar melhores resultados na Black Friday", aponta Rodrigo.

Edition: