Aulas são interrompidas após mais um tiroteio na Rocinha

Nesta segunda (9), as aulas foram suspensas. Os corpos foram localizados por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) próximo à Rua Um. Uma operação, que contou com o Batalhão de Choque e Batalhão de Operações Especiais (Bope), foi realizada na favela. Ainda não há identificação das vítimas.

Desde o início deste domingo, traficantes trocam tiros em vários pontos da Rocinha.

Informações preliminares dão conta de que uma das vítimas era conhecida como "Gordo" e trabalhava como padeiro em um estabelecimento na comunidade.

No domingo (8), foi registrado um intenso tiroteio entre agentes do Batalhão de Choque e criminosos, conforme divulgado pela PM. O morador da Rocinha Egberto Fernandes Queiroz foi baleado no ombro direito e encaminhado ao Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea.

Segundo a Secretaria municipal de Saúde, Egberto passou por procedimentos e foi liberado no fim da tarde.

A comunidade tem recebido operações policiais desde 18 de setembro, em resposta a um confronto armado iniciado por criminosos de grupos rivais que disputam o controle sobre o tráfico de drogas. Cerca de 60 bandidos ligados ao traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem - que está preso num presídio federal em Porto Velho - invadiram a comunidade para expulsar Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, seu antigo aliado. Desde então, a PM vem reforçando a atuação na Rocinha. Na última sexta-feira, o dia começou com tiroteios e uma adolescente de 16 anos atingida por bala perdida quando estava dentro de casa, na Rua 3.

Edition: