Estimativa para inflação em 2017 tem alta após 6 recuos, diz Focus

Mediana - Ao mesmo tempo, os agentes ouvidos pela autoridade monetária não alteraram a mediana das estimativas para a taxa básica de juros, a Selic, que segue em 7% para 2017 e 2018.

A estimativa de inflação deste ano (IPCA) avançou para 2,98%. No relatório anterior, os economistas estimavam que ela ficaria em 2,95%.

Produção industrial- O levantamento, divulgado nesta segunda-feira (09/10) pelo Banco Central (BC), também aponta melhora na projeção para este ano da produção industrial - de alta de 1,05% para 1,18%.

A projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) permanece em 0,70%, este ano. A expectativa de IPCA para outubro também foi elevada, de 0,36% para 0,38%, assim como a expectativa da taxa para os próximos 12 meses, que foi alterada de 3,97% para 4,01%, ainda dentro da meta estabelecida pelo BC. Já para 2018, os economistas das instituições financeiras elevaram a estimativa de expansão do PIB, de 2,38% para 2,43%. E a expectativa para 2018 ficou em US$ 75 bilhões. Esta é a menor taxa acumulada até setembro desde 1998, quando foi registrada taxa de 1,42%. Depois, a taxa básica iria para 7,50% ao ano em fevereiro de 2019. Assim, a Selic encerraria o ano em 7,00% ao ano.

Em relação a 2017, os economistas aumentaram de 2,95% para 2,98% a previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

A projeção do boletim Focus para o resultado da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), em 2017, subiu de US$ 62 bilhões para US$ 63 bilhões de resultado positivo. E para 2018, ficou em US$ 50,85 bilhões.

Edition: