Casa dos Rapazes de Viana do Castelo investigada pelo Ministério Público

A noticia é avançada este domingo pelo jornal Público, que conta que conta que as denúncias de humilhações e maus tratos contra menores foram feitas por educadoras. O caso está a ser investigado pelo Ministério Público, depois de uma denúncia.

Viana do Castelo, 09 out 2017 (Ecclesia) - A Diocese de Viana demarcou-se da recente polémica surgida em volta de notícias que envolvem a IPSS 'Casa dos Rapazes', sublinhando que a instituição "não tem qualquer ligação jurídica" à mesma.

O Público divulga dois vídeos que ilustram as alegadas práticas de violência. Num deles, datado de 2015, num dos encontros habituais da equipa técnica da instituição com rapazes com idades entre os 11 e os 15 anos/16 anos, há um rapaz que é questionado por ter usado a palavra "p***", enquanto o coordenador da unidade lhe dá "repetidas palmadinhas na cabeça" e diz "Anda caramelo!" E para a Casa dos Rapazes não têm sido encaminhados outros. A 24 de maio, uma denúncia informal também terá sido feita ao Instituto de Segurança Social (ISS), a entidade tutelar de acolhimento residencial, que funciona na dependência da secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim.

Quanto aos seis funcionários suspeitos, continuam a trabalhar no lar, "alegadamente pressionando rapazes a alterar a versão dos acontecimentos", refere o Público. Um dos arguidos terá sido mesmo alvo de uma promoção dentro da instituição, relata o jornal.

O ISS escusa-se a prestar mais esclarecimentos sobre o caso por se encontrar em segredo de justiça e remete "informação mais detalhada sobre o assunto para o Ministério Público (MP) de Viana do Castelo" onde corre a investigação de alegados maus tratos a jovens daquela Instituição Particular de Solidariedade Social.

A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens em Risco terá igualmente conhecimento do caso e alguns dos jovens da instituição já terão sido transferidos para outros lares.

Edition: