89% dos brasileiros reprovam o governo Temer — CNI/Ibope

Outros 16% consideram regular e 77% ruim ou péssima. Outros 3% não responderam ao questionário.

A aprovação pessoal de Temer também piorou.

A parcela da população que considera que o governo Temer é pior do que o da petista aumentou de 52% para 59%, de uma edição da pesquisa para a outra. A aprovação é de 7%, uma queda ante os 11% de julho.

De acordo com a pesquisa divulgada nesta quinta, 6% dos entrevistados disseram confiar em Temer, enquanto 92% afirmaram não confiar; 2% não souberam ou não responderam. Em julho, este número era de 10%.

Sobre as perspectivas em relação ao "restante do governo", 6% responderam "ótimo/bom"; 17%, "regular"; 72%, "ruim/péssimo"; e 5% não souberam ou não responderam.

A aprovação do atual governo caiu mais entre os entrevistados com renda familiar mais alta.

A pesquisa, a terceira realizada pelo Ibope sob encomenda da CNI divulgada este ano, tomou como base um universo de 2 mil eleitores ouvidos entre os dias 15 e 20 de setembro, em 126 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Corrupção foi um dos assuntos mais lembrados dos entrevistados	Efe
Corrupção foi um dos assuntos mais lembrados dos entrevistados Efe

O nível de confiança da pesquisa é de 95% - isto é, levando em conta a margem de erro, a probabilidade de o levantamento retratar a realidade da opinião pública é de 95%.

Quanto à confiança, Temer também teve um resultado pior que a da pesquisa anterior. Além disso, 2% não souberam ou não responderam a essa pergunta. Já sobre as taxa de juros, a reprovação chegou a 87%. Na Educação, 81% dos brasileiros desaprovam a gestão de Temer, mesmo percentual que não aprova a atuação no combate à inflação. As políticas do governo na área do meio ambiente tiveram a menor desaprovação em setembro, de 79%.

A repercussão da tentativa de liberação da Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca) para exploração mineral, assim como notícias sobre corrupção aparecem entre as mais lembradas pela população.

Para 9%, as notícias nos últimos meses foram "mais favoráveis"; para 12%, "nem favoráveis, nem desfavoráveis"; para 68%, "mais desfavoráveis"; e 11% não souberam ou não responderam.

Em terceiro lugar, 7% disseram se lembrar das malas com 51 milhões encontradas pela Polícia Federal no apartamento de Geddel Vieira Lima. "Nessa mudança [da avaliação] de julho para setembro, o debate todo em torna da Amazônia afetou essa avaliação".

Para o gerente-executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca, a popularidade muito baixa nesse momento tem dois componentes. Cerca de 34% dos consultados na pesquisa não souberam ou não responderam qualquer notícia quando questionados sobre o tema.

Edition: