Tempestade Max ganha força e se aproxima de Guerrero, no México

A tempestade tropical Max se formou nesta quarta-feira no Pacífico em frente ao México, e deverá causar chuvas nos estados de Guerrero e Oaxaca, onde um terremoto deixou 78 mortos na semana passada.

Às 15h00 GMT (12h00 de Brasília), Max, de categoria 1 de 5 na escala Saffir-Simpson, se localizava a 65 quilômetros ao sul de Acapulco, no estado de Guerrero (sul), com ventos máximos de 130 km/h, enquanto se deslocava para o leste a 11 km/h, segundo um relatório do americano Centro Nacional de Furacões (NHC, em inglês), com sede em Miami.

É possível que Max se fortaleça antes de tocar terra e que, uma vez dentro do território mexicano, enfraqueça até se dissipar na sexta-feira sobre as montanhas do sul do país, considerou o NHC.

O terremoto também atingiu os estados de Chiapas e Tabasco, mas Oaxaca foi o mais afetado, segundo as autoridades.

Em uma visita a San Marcos, o governador do estado, Héctor Astudillo, disse que o segundo desaparecido é um homem de 45 anos que foi arrastado por uma correnteza "muito forte".

Também há previsão de tempestades muito fortes com pontos intensos (75 a 150 milímetros) na costa leste de Michoacán e a maior parte de Guerrero, e fortes tempestades em Colima e Oaxaca.

A companhia estatal de eletricidade, CFE, disse que iniciou um plano de contingência diante da passagem de Max, disponibilizando centenas de funcionários e equipes de emergência para atender eventuais problemas, principalmente em Guerrero. O último deles, Lidia, castigou a Península de Baixa Califórnia no início do mês, deixando sete mortos, além de inundações e danos em infraestrutura.

"Sua circulação periférica continuará provocando tempestades e ventos fortes e grandes ondas em toda a faixa costeira", advertiu a instituição.

Edition: