Defesa de Lula pede que Moro esclareça possível alteração em denúncia

O juiz Sergio Moro determinou que seja realizada uma perícia no "My Web Day", o sistema de informática usado pela Odebrecht para registrar pagamentos de propinas.

No ofício de hoje, pediu para que Janot providencie o acesso ao material aos peritos da Polícia Federal.

"A peça mostra que em decisão proferida no último dia 13/09 o juiz Sergio Moro fez referência a uma hipótese acusatória diferente daquela exposta na denúncia e sobre a qual Lula está se defendendo na ação 'segundo a acusação, a maior parte do preço do imóvel foi feito pela DAG Construtora, mediante regular contabilização, assim somente uma fração teria sido paga, segundo o aludido relatório [Relatório de Análise 07/2017, do MPF], pelo Setor de Operações Estruturadas'", diz nota da defesa do ex-presidente.

Segundo Cristiano Zanin Martins, não há "materialidade" na denúncia.

Os advogados do ex-presidente afirmam, no entanto, que desta forma conhecerão apenas documentos selecionados pela força-tarefa da Lava-Jato para incriminar Lula, sem que tenham acesso a outras informações que possam ajudar na defesa. São papéis apócrifos, com indícios de adulteração nesses documentos.

Além da "planilha da propina", outro documento que teve a autenticidade questionada foi a pauta de uma reunião que traz as anotações "obra sítio, palestras e Instituto", e que seriam referentes aos últimos dias de mandato do ex-presidente Lula.

Por meio da assessoria de imprensa, o juiz Sérgio Moro afirmou que não irá se manifestar a respeito das afirmações e questionamentos feitos pelos advogados.

Edition: