Tribunal confirma prisão perpétua para ex-presidente do Egito Mohamed Morsi

A justiça egípcia confirmou hoje de forma definitiva a pena de prisão perpétua para o ex-presidente do Egito Mohamed Morsi pelo envolvimento num caso de espionagem com o Qatar, informou uma fonte judicial.

A sentença, que é definitiva, confirma uma condenação à prisão perpétua - 25 anos no Egito - feita em 2016 contra Mursi por ter comandado uma "organização ilegal", disse seu advogado, Abdel Moneim Abdel Maqsud, à AFP. Pelas leis egípcias, a pena é de 25 anos.

O julgamento tratou do suposto caso de entrega de segredos ao Catar, país aliado do então governo Mursi que criticou o golpe contra o ex-presidente.

Ex-líder do grupo poítico Irmandade Muçulmana, Mursi é acusado de entregar documentos relacionados com a segurança nacional às autoridades do Catar.

Edition: