Coreia do Norte lança novo míssil balístico

O governo do Japão informou na tarde desta quinta-feira que um míssil foi lançado da Coreia do Norte e, provavelmente, passou sobre território japonês, segundo a rede de notícias japonesa NHK.

O míssil sobrevoou a ilha de Hokkaido às 07:00 de sexta-feira (hora em Tóquio, 23:00 em Lisboa), indicaram as autoridades japonesas acrescentando que o sistema de aviso J-Alert foi acionado em várias regiões do norte do arquipélago.

A Coreia do Norte lançou um novo míssil balístico esta quinta-feira (sendo que já era sexta-feira naquela região do globo), fazendo accionar de imediato os alarmes a nível internacional e levando a uma análise pronta, por militares norte-americanos e sul-coreanos, do tipo de arma, avançou o The Guardian. "Se a Coreia do Norte continuar a seguir este rumo, não terá um futuro brilhante", sublinhou Shinzo Abe em comunicado.

O governo de Pyongyang realizou o lançamento de um míssil por volta das 7h dessa sexta-feira (15) - cerca de 19h de ontem (14) no horário de Brasília.

Alguns especialistas expressaram ceticismo a respeito do alcance do texto adotado ontem, alegando que as sanções anteriores não impediram o grande avanço dos programas nuclear e balístico de Pyongyang.

O Conselho de Segurança da ONU decidiu, por unanimidade, que fica proibido exportações de produtos têxteis do país e limitou as importações de petróleo em 11 de setembro.

Em Washington, o secretário de Estado norte-americano Rex Tillerson condenou o lançamento "provocador" efetuado pela Coreia do Norte e instou a China e a Rússia, próximas de Pyongyang, a aplicarem "medidas diretas" sobre o regime.

Restando como "única solução" um reforço de sanções como forma de "abrir canais de diálogo político e diplomático", a Alta Representante da UE disse que agora a União atuará em três frentes a nível das sanções: implementar as novas sanções impostas pela ONU, garantir que todos os parceiros internacionais fazem o mesmo para assegurar a sua eficácia, e discutir eventuais novas sanções do lado da UE, questão já abordada na recente reunião informal de chefes de diplomacia europeus, em Talin.

O presidente dos EUA, Donald Trump, prometeu que a Coreia do Norte nunca terá permissão de ameaçar o país com um míssil nuclear, mas também pediu à China que faça mais para controlar seu vizinho.

Edition: