PF prende integrantes de quadrilha que fraudavam a Previdência Social

Os nomes dos envolvidos não foram divulgados pela Polícia Federal.

A Polícia Federal e a Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária da Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda deflagraram nesta quarta-feira (13) a Operação Álibi, que tem por objetivo desarticular um grupo criminoso dedicado a fraudar a Previdência Social. Um benefício falso chegou a receber mais de R$ 240 mil do INSS. Segundo as investigações, a quadrilha falsificava documentos públicos e privados para receber benefícios em nome de pessoas mortas. A operação é resultado de uma investigação iniciada em Julho de 2015. A sede da Superintendência Regional no Piauí, localizada na Avenida João XXIII também é um dos alvos da operação. Informações colhidas indicam que o alvo dos policiais é apenas na capital. Posteriormente, a quadrilha simulava o falecimento desses falsos contribuintes e dava entrada em um pedido de pensão por morte.

O esquema, segundo a PF, causou à União um prejuízo superior à R$ 2,1 milhões.

Um advogado figurava entre os líderes dos investigados, que responderão perante a Justiça por formação de quadrilha e por reiterada prática de estelionato em detrimento da Previdência Social, crimes com penas que ultrapassam dez anos de prisão.

Edition: