Geddel pede afastamento da direção nacional do PMDB

O caso será julgado no STF pelo envolvimento do irmão de Geddel no caso, o deputado Lúcio Vieira Lima.

Em julho de 2017, Geddel foi preso preventivamente sob a acusação de estar agindo para atrapalhar as investigações da Operação Cui Bono. Também foram encontradas digitais do ex-ministro. Desde que a Polícia Federal encontrou R$ 51 milhões em um apartamento usado pelo ex-ministro do governo Michel Temer, Lúcio não aparece no Congresso Nacional. O dinheiro apreendido já foi depositado em conta judicial.

Ainda na reunião, o senador Romero Jucá designou o líder do PMDB na Câmara, deputado Baleia Rossi (SP), para buscar um entendimento em torno das divergências no PMDB de Pernambuco com a filiação ao partido do senador Fernando Bezerra. De acordo com a investigação, entre março de 2011 e dezembro de 2013, a vice-presidência de Pessoa Jurídica da instituição era ocupada por Geddel Vieira Lima.

Edition: