IBGE: culturas de inverno apresentam revisão de produção para baixo em 2017

As estimativas de produção para o ano encolheram em relação a julho para feijão 2ª safra (-0,5%), milho 2ª safra (-1,2%), feijão 1ª safra (-1,6%), cevada (-3,8%), trigo (-4,1%) e cacau (-4,8%).

A oitava revisão manteve a estimativa de uma safra recorde em 2017. Na colheita de soja a produção teve uma estimativa 0,1% menor em agosto na comparação com julho, segundo o IBGE.

A estimativa da área a ser colhida (61,1 milhões de hectares) subiu 7,0% frente à área colhida em 2016 (57,1 milhões de hectares). Continuam sendo esperados recordes na produção da soja (115,0 milhões de toneladas) e do milho (98,4 milhões de toneladas). O arroz, que também é um dos principais representantes do grupo, terá um crescimento estimado em 16,2% na produção.

Nesta avaliação para 2017, o Mato Grosso liderou como maior produtor nacional de grãos, com uma participação de 25,8%, seguido pelo Paraná (17,5%) e Rio Grande do Sul (15,2%), que, somados, representaram 58,5% do total nacional previsto. A estimativa faz parte do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de agosto, divulgado há pouco pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A produção do feijão, estimada em 3,3 milhões de toneladas, foi 0,2% menor em relação a julho. "O crescimento do rendimento médio não ocorreu em função de melhoria nas condições climáticas, e sim em função da menor área a ser colhida [que diminuiu 7,4%], já que algumas áreas, provavelmente, não serão colhidas devido ao baixo rendimento", diz o relatório do #IBGE.

A 2ª safra de feijão foi estimada com uma redução de 0,5% frente a julho, acompanhando as quedas de 0,1% no rendimento médio e de 0,4% na área a ser colhida.

Edition: