Por pressão de conservadores, Santander cancela exposição LGBT

Depois de receber milhares de críticas do público, o espaço se viu obrigado a fechar no domingo (10) a exposição Queermuseu - Cartografias da Diferença na Arte. O Santander também pediu desculpas a todos os que "enxergaram desrespeito a símbolos e crenças na exposição Queermuseu".

Veja a nota oficial do Santander Cultural sobre a antecipação do fim da exposição.

A decisão da instituição foi uma reposta à onda de protestos nas redes sociais. "Quando a arte não é capaz de gerar inclusão e reflexão positiva, perde seu propósito maior, que é elevar a condição humana", acrescenta.

Em sua página no Facebook, o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), compartilhou a nota de esclarecimento do Santander Cultural e disse que a exposição "mostrava imagens de pedofilia e zoofilia". Embora o Santander Cultural não tenha um levantamento sobre quantas escolas levaram alunos para ver as obras, o próprio projeto da mostra estabelecia ações voltadas a esse fim.

Em reportagem da Zero Hora à época da inauguração, Gaudêncio Fidelis, curador da Quermuseu, destacou que a mostra na capital gaúcha é a quarta exposição de grande porte em um museu a se intitular "queer" em todo o mundo. Não fui consultado em nenhum momento sobre isso, e ninguém do Santander entrou em contato comigo. Fiquei sabendo do cancelamento por um grupo de Whatsapp.

"As manifestações foram muito organizadas e se debruçaram sobre algumas obras muito específicas, que não dão a verdadeira dimensão da exposição". No texto, a instituição afirma reconhecer que, além de despertar a polêmica saudável e o debate sobre grandes questões do mundo atual, a mostra foi considerada ofensiva por algumas pessoas e grupos.

Entre as imagens mais compartilhadas, está a pintura de uma pessoa praticando sexo com um animal, além de desenhos de crianças com frases como "Criança viada travesti da lambada" e "Criança viada deusa das águas".

A seleção contava com 270 obras que tratavam de questões de gênero e diferença.

Na época em que a exposição foi anunciada, o Santander informava que "valoriza a diversidade e investe em sua unidade de cultura no Sul do País para que ela seja contemporânea, plural e criativa".

Assim que foi anunciado o fechamento da exposição, entidades ligadas ao movimento LGBT divulgaram nas redes sociais a realização de um ato público na próxima terça-feira, a partir das 15h30min, em frente ao Santander Cultural, "em defesa da liberdade de expressão artística, das liberdades democráticas e contra os retrocessos políticos que limitam o exercício de cidadania da população LGBT". Garantimos, no entanto, que seguimos comprometidos com a promoção do debate sobre diversidade e outros grandes temas contemporâneos.

Edition: