Lula é denunciado pela segunda vez — Operação Zelotes

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e mais seis pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público Federal do Distrito Federal (MPF-DF) pelos crimes de corrupção ativa e passiva. Outros cinco investigados também foram denunciados pelos procuradores por terem beneficiados montadoras de veículos por meio da edição de medidas provisórias.

Essa é a segunda denúncia apresentada contra o ex-presidente na Zelotes. O petista é acusado de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa ao, supostamente, ter tentado interferir na aquisição de 36 aviões militares da fabricante sueca Saab.

Na ação enviada à Justiça Federal na última sexta-feira (8), o MPF pediu que os envolvidos paguem R$ 12 milhões a título de ressarcimento ao Erário e multa por danos morais coletivos.

Assim como a Saab, as duas companhias eram clientes do escritório de lobby Marcondes & Mautoni, que teria repassado cerca de R$ 2,5 milhões a Luís Cláudio, filho do ex-presidente.

A advogada Carla Domênico, do executivo de montadora Paulo Arantes Ferraz, afirmou que ainda não pode comentar a peça de acusação, pois não teve tempo de examiná-la integralmente.

Segundo o MP, tudo foi aprovado a toque de caixa, três dias depois do "café" com então chefe de gabinete Gilberto Carvalho. Foi baseada em informações colhidas na operação Zelotes.

"Diante de tal promessa, os agentes públicos, infringindo dever funcional, favoreceram às montadoras de veículo MMC e CAOA ao editarem, em celeridade e procedimento atípicos, a Medida Provisória n° 471, em 23/11/2009, exatamente nos termos encomendados, franqueando aos corruptores, inclusive, conhecimento do texto dela antes de ser publicada e sequer numerada, depois de feitos os ajustes encomendados", afirmaram os procuradores da República Frederico de Carvalho Paiva e Herbert Reis Mesquita.

Um dos advogados de Lula, José Roberto Batochio, informou que deixou a defesa do ex-presidente em processos em que ele possa estar em posição contrária ao ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, que comprometeu Lula em depoimento ao juiz Sérgio Moro. A entidade diz que a nova denúncia é "não apenas improcedente, mas injurídica e imoral".

Gilberto Carvalho disse que o governo Lula baixou a medida para o desenvolvimento regional; que, se houve corrupção, foi no Congresso ou na atuação de lobistas; que recebeu Mauro Marcondes porque ele tratava da MP em nome das montadoras; e que a acusação é sem provas.

A Caoa se declarou surpresa com a denúncia, e afirmou que os fatos já foram objeto de investigação em que ficou provada a inocência da empresa.

O advogado de Mauro Marcondes disse que a denúncia é requentada e que o procurador está brincando com a Justiça.

Edition: