Furacão Irma "vai devastar os Estados Unidos"

Também não há electricidade em muitas zonas da costa norte e o Governo admite que os estragos serão muito avultados, sobretudo nas estâncias turísticas construídas nos últimos anos nas ilhas ao largo da costa - uma das grandes fontes de receita para o país. De acordo com a imprensa americana, uma mansão que o presidente tenta vender no balneário francês de St. Maarten pode estar no caminho da tempestade. No entanto, autoridades estão preocupadas porque milhares de pessoas se negam a buscar refúgio, mesmo frente à ameaça do furacão mais poderoso já registrado no Oceano Atlântico.

Às 16H00 GMT (13H00 em Brasília), o olho do furacão estava situado 190 km ao nordeste da cidade de Nuevitas, na província de Camagüey, avançando em direção ao noroeste a 22km/h, indicou o Instituto de Meteorologia de Cuba (Insmet). Cuba e Estados Unidos se preparam para o impacto.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, alertou na sexta-feira para o "potencial destrutivo absolutamente histórico" do "Irma". As restantes vítimas são seis nas Ilhas Virgens Britânicas, quatro nas Ilhas Virgens Americanas, duas na parte holandesa de Saint-Martin, duas em Porto Rico e uma em Barbuda.

Depois de Cuba, espera-se que Irma vá para o sudeste dos Estados Unidos, atingindo primeiro a Flórida, e depois a Geórgia e Carolina do Sul.

Dois outros furacões se formaram na quarta-feira. Prédios da polícia e dos bombeiros foram destruídos.

Em um apelo para evitar tragédias, o governador da Flórida, Rick Scott, pediu à população para que evacue as áreas com ordem de saída obrigatória. O empresário Marcos Garrido, que vive em Boca Raton, contou ao GLOBO que, por causa da passagem do Harvey pelo Texas, as pessoas se programaram com antecedência, ao contrário de furacões anteriores. - Foi diferente do que aconteceu no ano passado, em que um dia antes da chegada do Matthew ainda era possível encontrar produtos nas prateleiras.

O furacão se aproximou da parte norte de Porto Rico na noite de quarta-feira e na manhã de quinta-feira, com ventos de até 295 km/h, que provocaram cortes no fornecimento de energia elétrica e fortes chuvas.

José, que segue a trajetória de Irma, ganhou força na quinta-feira e subiu para categoria 3, com ventos de até 195 km/h, segundo o NHC.

Antes mesmo de chegar aos EUA, ou de fazer qualquer vítima em sua passagem pelo Caribe, o furacão Irma já bateu recordes: foi considerada a maior já registrada no Oceano Atlântico.

Edition: