Aliado de Temer é escolhido relator da CPI que investigará JBS

A comissão de deputados e senadores vai investigar também o acordo de colaboração premiada do Ministério Público Federal com os acionistas das empresas.

O Planalto pressiona para que Marun, integrante da tropa de choque de Michel Temer, seja o escolhido. Obviamente irei na comitiva do presidente. "Além disso, os fatos de uma nova denúncia, se é que ela vem, só podem dizer respeito ao exercício do mandato do presidente", disse o advogado.

Mariz entrou com recurso no Supremo Tribunal Federal pedindo a suspeição de Janot, sob a justificativa de que ele persegue Temer por motivos políticos.

Além da defesa jurídica, Temer faz articulações para fustigar delatores e seus parceiros, na CPI da JBS, com requerimentos de informações e pedidos de quebra de sigilo bancário, fiscal e telefônico.

O deputado não será o único relator da investigação.

Em junho, ao ser denunciado por corrupção passiva, Temer levantou suspeitas sobre a ligação entre Miller e Janot. Miller afirma nunca ter cometido "qualquer crime ou ato de improbidade".

Instalada no dia 5 deste mês pelo Congresso Nacional, a CPMI vai investigar irregularidades envolvendo a empresa JBS e a holding J&F em operações com o BNDES.

O deputado Francischini (SD-PR) assumirá a sub-relatoria de contratos da JBS, que também tratará da delação do grupo, e o deputado Hugo Leal (PSB-RJ) ficará com a sub-relatoria de assuntos fiscais, previdenciários e agropecuários. Aliados de Temer querem usar a CPI para derrubar a delação de Joesley.

"Temos três nomes na mesa. acredito que até às 22h de hoje um desses três nomes será escolhido", disse Ataídes a jornalistas.

No encontro do último sábado (9) com Temer e os ministros Henrique Meirelles (Fazenda), Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo), e Moreira Franco (Secretaria Geral), o senador afirmou que acertaram a duplicação da BR 153 no Tocantins, e a construção de uma ponte ligando o Tocantins ao Pará. O encontro não constou na agenda oficial do presidente.

Autor de 57 dos 95 requerimentos apresentados até agora na comissão - incluindo a convocação dos delatores e o convite para Janot prestar esclarecimentos -, o deputado Izalci Lucas (PSDB-DF) disse que, após a prisão de Joesley, a CPI ganhou relevância. "Não temos muita estratégia de ação definida ainda, mas isso é muito simples". Vamos chamar inclusive o ex-procurador Marcelo Miller.

Edition: